"Minha vida é monótona. E por isso eu me aborreço um pouco. Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol. Conhecerei o barulho de passos que será diferente dos outros. Os outros me fazem entrar debaixo da terra. O teu me chamará para fora como música.E depois, olha! Vês, lá longe, o campo de trigo? Eu não como pão. O trigo para mim é inútil. Os campos de trigo não me lembram coisa alguma. E isso é triste! Mas tu tens cabelo cor de ouro. E então serás maravilhoso quando me tiverdes cativado. O trigo que é dourado fará lembrar-me de ti. E eu amarei o barulho do vento no trigo…" (Antoine de Saint-Exupéry - Trecho de "O Pequeno Príncipe")

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Para vc nº 2


Chego devagar...
Olho e sinto,
Conquisto,
Quebro muros,
Tenho muito a lhe mostrar...
Venha!!!

Deixe que te guio, suba em meu barco,
Porém tenho meu preço...
Ver-me sempre em seus olhos...
Matar a minha sede em ti,
Todas as manhãs e a qualquer hora,
Ter o seu calor!
A sua luz...
Quero amor sem fim,
Para ser um só,
Sem saber onde começamos ou temos fim,
Até o nosso renascer...

Topa????
Renato de Oliveira Santos

2 comentários:

iara disse...

olha que isso da uma musica no estilo ana carolina hein!!!vc escreve com belos versos, deslizantes e diretos uauuuu !!! o topa? no final é uma jogada sensual perfeita.

surpreendente!!!

boa noite abxsss

Anônimo disse...

Chego devagar... E chega devagar, não porque tenha pressa e sim, porque é cauteloso;
Olho e sinto, Nesse momento você analisa, se analisa e toma decisões;
Conquisto, Se afirma diante da oportunidade, alimenta seu ego e traça suas metas.
Adorei esse jeito misterioso de se fazer presente, de falar de amor em versos.
Seu poema é rico e, o mais importante, tem alma! Muito legal, bom mesmo.