"Minha vida é monótona. E por isso eu me aborreço um pouco. Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol. Conhecerei o barulho de passos que será diferente dos outros. Os outros me fazem entrar debaixo da terra. O teu me chamará para fora como música.E depois, olha! Vês, lá longe, o campo de trigo? Eu não como pão. O trigo para mim é inútil. Os campos de trigo não me lembram coisa alguma. E isso é triste! Mas tu tens cabelo cor de ouro. E então serás maravilhoso quando me tiverdes cativado. O trigo que é dourado fará lembrar-me de ti. E eu amarei o barulho do vento no trigo…" (Antoine de Saint-Exupéry - Trecho de "O Pequeno Príncipe")

segunda-feira, 9 de março de 2009

EXIT...


Sob um toldo branco, apenas mais um nas estatísticas!
Uma vida perdida, num mergulho sem volta.
Me perguntei o dia todo, o por quê desta atitute?
O que tanto lhe aflingiu? O que a vida lhe fez?
Que prisão ou dor tens ai dentro?
Sob esse toldo, apenas um filete de sangue, o liquido vital se esvaía e manchava o granito frio.
Sem nome, sexo, apenas outro que não soube onde procurar ajuda, preferiu um não a vida, numa mistura de coragem, medo, força e covardia preferiu a morte, o choque, a fuga de sí mesmo, atravessando uma porta que não se abre para a volta...
Foi se desta num pulo ao infinito tão finito, se chocando e se estrassalhando em sua própria dor!

Um comentário:

Daniel Silva disse...

E a morte buscou-o do outro lado da porta e lhe perguntou vaidosa e triunfante: Achas-me melhor do que vida nao é?